Google+ Followers

sábado, 30 de agosto de 2014

 Quero poemas orgânicos
Sem mistura trans nos versos
Uma poesia feita de linhaça
Cheia de prosa e caloria equilibrada.

Um poema integral,
Com proteína nos versos
E aveia na palavra.

Que seja escrita em papel reciclado
O poema falado com gosto de hortelã
Pra deixar mais linda a metáfora
Um gole de própolina outro de romã.

Espinheira divina pra minha palavra
 Gengibre e semente de chia nos versos
E seja eterno o poético, que o poeta seja poético.

Não tenha sal, nem a culpa do açúcar.
E fique longe dos conservantes,aromatizantes,
Congelados e enlatados
Que seja sempre poesia e poetizado.


Manuca Almeida 267.

Nenhum comentário:

Postar um comentário